OPINIÃO

OPINIÃO -

Suicídio na adolescência: Pais, a que devem estar atentos?

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Share on facebook
Share on twitter

TÓPICOS

Artigo de Maria Vale

 

Em Portugal, o suicídio é a segunda causa de morte nos adolescentes, entre os 15 e os 19 anos de idade (Organização Mundial de Saúde, 2019). Instalada uma desorganização interior e um sofrimento intolerável, são demasiados os adolescentes que colocam termo à sua vida, quando esta ainda está a iniciar. Para estes, não existe outra alternativa viável.

PUBLICIDADE

Para prevenir e intervir a tempo, existem alguns sinais de alerta a que os pais podem estar atentos: (1) Psicológicos: tristeza, apatia e indiferença constantes; baixa autoestima, sentimentos de culpa e vergonha; sensação de falta de pertença à família, aos grupos de amigos, à sociedade; irritabilidade e stresse; introversão (falam pouco sobre si, sobre o que sentem, e o que pensam); explosões de raiva, impulsividade, agressividade, e baixa tolerância à contrariedade; alterações nos hábitos alimentares e no padrão de sono; consumo de bebidas alcoólicas, estupefacientes e medicamentos; doenças do foro psicológico/psiquiátrico como  a depressão, ansiedade;  (2) Físicos: falta de cuidado com a aparência física e higiene pessoal; linguagem e postura corporal deprimida (e.g., cabeça baixa, ombros encurvados, ausência de contacto ocular). (3) Sociais: perda de interesse por atividades de lazer e desportivas; isolamento social e resistência em estar em locais públicos; grande dependência emocional de adultos; (4) Escolares: faltas à escola; dificuldades de concentração e aprendizagem; baixo rendimento académico; (5) Comportamentais: despedidas inesperadas e intensas, sem causa aparente; ameaças de comportamentos suicidários; pensamentos, ideações e expressões suicidas (e.g., “Quero morrer”, “Vou-me matar”, “A minha vida não tem sentido”); comportamentos autolesivos (cortes, queimaduras, …); tentativas de suicídio anteriores. 

A atenção parental decorre do diálogo, compreensão, escuta, investimento        numa relação de qualidade e da supervisão. E, na presença destes sinais e sintomas, recorra a um serviço de psicologia/psiquiatria. Há ainda a possibilidade dos jovens conversarem através da Linha SOS Adolescente, através do número 800202484, ou da linha SOS Estudante – 96 955 45 45, para apoio emocional e prevenção do suicídio.

Pais, vamos ajudá-los a encontrar e a construir outra alternativa para este grito de dor.

Share on facebook
Partilhe este artigo no Facebook
Share on twitter
Twitter
COMENTÁRIOS
OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso exclusivo por
um preço único

Assine por apenas
2€ / mês
* Acesso a notícias premium e jornal digital por apenas 24€ / ano.