SOUTELO –  Cerca de 70 pessoas participaram no Hospital do Sorriso

SOUTELO –
Cerca de 70 pessoas participaram no Hospital do Sorriso

Foram muitos os sorrisos que se largaram pelo hospital improvisado na Escola Básica de Soutelo. Pela primeira vez na freguesia, o projecto social Hospital do Sorriso conquistou o interesse de mais de 70 pessoas que experimentaram os benefícios dos tratamentos naturais na promoção de uma vida mais saudável.

Tanto crianças como adultos receberam um atendimento individual feito pelos 30 especialistas voluntários das diversas áreas da medicina não convencional como aromaterapia, acupuntura, ventosaterapia e massagem, entre outras.

PUBLICIDADE

Após a inscrição, os vários pacientes passaram por dois exercícios fundamentais antes de entrar na sala de tratamento propriamente dita. Tudo começou com as pessoas a explicar aos terapeutas as patologias que lhes provocam dor e inalar os diferentes cheiros dos óleos essenciais sem produtos químicos.

Posteriormente, os pacientes entraram na sala de tratamento, por ordem de chegada, para serem cuidados pelas mãos experientes dos terapeutas. Tudo de forma totalmente gratuita e com muita paixão pela arte.

Organizado pela Associação Portuguesa de Aromaterapia, o Hospital do Sorriso celebrou assim a sua 50ª acção com muita adesão e com sentimentos felizes, como prova o testemunho da participante Rosa Rodrigues: “Sinto-me mais leve, mais aliviada!”.

A 50ª edição do Hospital do Sorriso foi organizada em conjunto pela Associação Portuguesa de Aromaterapia, Junta de Freguesia de Soutelo, Movimento Soutelo Ativo e Manuela Crespo, com o apoio de várias empresas e instituições.

«A actividade foi bem-sucedida com a fusão de dois objectivos. Por um lado, permitiu à população desfrutar de um cuidado, de um carinho. Muitas pessoas chegaram com bastante dor e saíram com um sorriso no rosto. Por outro, levou a que as pessoas tivessem contacto com a utilização de técnicas naturais, potencializando o corpo e equilibrando a mente sem recurso a produtos químicos», disse o autarca Filipe Silva.