Salvador Sousa – O Vilaverdense

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (52)

Por Salvador de Sousa Após a provisão da comissão canónica nomeada, no dia 3 de maio de 1922, para estudar as Aparições de Fátima, a decisão foi lenta e só no dia 14 de abril de 1929 é que lavrou o relatório final que foi entregue ao Prelado que se pronunciou, apenas, na Pastoral «A … Ler mais

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (51)

Por Salvador de Sousa D. Frei Francisco Rendeiro, bispo do Algarve (1955-1966, posteriormente, bispo de Coimbra) escreve um capítulo, na obra que estou a ler (editada em 1955), sobre a consagração pela Igreja do culto de Nossa Senhora da Cova da Iria, relatando-nos a atitude da Igreja perante os acontecimentos extraordinários de Fátima. Como já … Ler mais

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (49). Os lugares e as pessoas são as verdadeiras fontes da verdade. A Irmã Lúcia visita Fátima e arredores em maio de 1946

O cónego José Galamba de Oliveira, que dedica um capítulo, na obra que estou a ler, à história das Aparições de Fátima, acompanhou a Irmã Lúcia, em maio de 1946, numa visita que fez a Fátima e arredores, revivendo a terra que a viu nascer, as suas tarefas, os seus amigos, as suas brincadeiras e, … Ler mais

OPINIÃO -

O Natal passou, mas persistirá a sua mensagem

O Natal é um período que nos faz aprofundar e rejuvenescer os nossos afetos, o nosso altruísmo, os nossos sentimentos mais nobres. Aviva os nossos valores, põe em prática ações nobilíssimas do nosso viver, pensando mais nos outros. É uma época de dar e aceitar, de interagir com o nosso semelhante, da convivência entre patrão … Ler mais

OPINIÃO -

O serviço público não pode viver sem o privado

Qualquer país do mundo só com serviço público não pode prestar o apoio devido às populações no que concerne à saúde, à educação, ao apoio social e à própria economia em geral.  Vejamos o que se passa com a saúde e com outros serviços sociais em Portugal e não só… O que seria de nós … Ler mais

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (48). Os lugares e as pessoas são as verdadeiras fontes da verdade. A destruição da Capela das Aparições

Nossa Senhora, segundo o testemunho dos videntes, pediu que se erigisse, no local das aparições, uma capela. Um grupo de crentes não esperou que a Autoridade Eclesiástica o fizesse, mandando construir um pequeno oratório denominado capela das aparições que foi o único monumento religioso, durante bastante tempo, na Cova da Iria. Outros símbolos a precederam, … Ler mais

OPINIÃO -

Fátima, sempre foi, já é e será sempre mais (47) Os lugares e as pessoas são as verdadeiras fontes da verdade. A atividade maçónica e a resposta dos crentes

Os crentes, perante todas as atitudes já relatadas na crónica anterior e de outras que foram surgindo ao longo do mês de outubro de 1917, mormente em Santarém, não puderam resistir a tantas ignóbeis ações levadas a efeito sem escrúpulo, nem respeito pela fé em Deus e em Nossa Senhora dos seus semelhantes. Um grupo … Ler mais